Upanishad Ishavasya numa ótica espírita

Teria o hinduísmo e o espiritismo mais a ver do que imaginamos?

A invocação do Upanishad Ishavasya é de extrema significância pois dá a diretriz de todo o ensinamento dos upanishads, assim como possui a essência do pensamento vedanta. Estima-se a sua idade em 3500 anos, antes da invenção dos alfabetos sânscritos, sendo todo o conhecimento transmitido oralmente. Seu nome deriva da primeira palavra que aparece, Isha, que significa o Absoluto, a Plenitude, o Ser Infinito. Gandhi fez uma bela homenagem a este Upanishad quando disse: “Se as Upanishads e todas as outras escrituras fossem repentinamente reduzidas a cinzas, e se somento o primeiro verso da Isha Upanishad permanecesse na memória dos hindus, o hinduísmo viveria para sempre. A invocação inicial a que Gandhi se refere diz: “Aquilo é o Todo; Isto é o Todo. O Todo surge do Todo. Quando tiramos o Todo do Todo, o Todo permanece” (îsHâ vâsyamidaM sarvaM yat kiñca jagatyâM jagat | tena tyaktena bhuñjîthâ mâ gRidhaH kasya sviddhanam). A essência é a mesma do Shantipath: Om purnamadah purnamidam purnat purnamudacyate | purnasya purnamadaya purnamevavasisyate | om shantih shantih shantih

Mas como o Todo pode permanecer Todo quando o Todo lhe é retirado? Continuar lendo

Alimentação vegetariana e espiritismo

Imagem: Google Imagens

A alimentação vegetariana é um tema que vem cada vez mais sendo alvo de discussões no meio espírita. Vários são os livros – psicografados ou não – que fazem alguma alusão a isso e antagônicas são as posições tomadas por diferentes pessoas com relação ao assunto. Mas o que realmente diz a doutrina espírita?

Analisando o Livro dos Espíritos, temos a seguinte passagem:

723. A alimentação animal é, com relação ao homem, contrária à lei da Natureza?

“Dada a vossa constituição física, a carne alimenta a carne, do contrário o homem perece. A lei de conservação lhe prescreve, como um dever, que mantenha suas forças e sua saúde, para cumprir a lei do trabalho. Ele, pois, tem que se alimentar conforme o reclame a sua organização.”

Esse trecho serve de base aos espíritas que se colocam a favor de uma alimentação onde a carne tenha lugar garantido. Mas não há nada mais a ser considerado sobre a resposta acima? Por exemplo: quando foi escrita? Qual era a situação do homem em termos de conhecimentos nutricionais à época em comparação com os dias de hoje? Percebe-se claramente no trecho citado que é colocada a questão da necessidade: uma palavra de grande importância para se discutir o assunto. Continuar lendo